R P F V house

Santo Tirso, 2013-2018

A proposta inscreve-se num terreno com a área de 1697 m² sendo 112 m² de área coberta que correspondia a uma moradia de dois pisos e sótão em ruína, cuja totalidade dos pavimentos se aproximava dos 300 m².
Dos 1697 m² de terreno, apenas 600 m² possuíam capacidade construtiva, sendo a área restante de Reserva Agrícola.

A topografia era caracterizada por uma forte pendente, sentido Poente – Nascente, dividida em dois socalcos com uma diferença total de cota de 9 m. A área construtiva estava isolada da via pública e cercada pela Reserva Agrícola, abaixo da cota da rua.


O conjunto construído era composto por uma habitação, eira a sul, e espigueiro.

A casa estava assente sobre rigorosos muros de xisto, o revestimento do piso elevado e a eira eram de ardósia.

Demolimos o piso superior, salvamos o r/c e as ardósias da eira.
À semelhança da antiga habitação, a nova incorpora-se na morfologia do terreno, prescindindo de frente urbana, promovendo o diálogo com a belíssima paisagem agrícola
que se estende no sentido oposto à rua.


A casa ocupa a área bruta de 643,20 m² distribuídos por 3 pisos. O acesso da rua, possui umas escadas e um corredor descoberto até ao coração da casa, o pátio central onde se localiza a entrada.


O piso 0 (nível -2, abaixo da cota de rua) foi alvo de uma operação de reabilitação e de ampliação. É ocupado por funções sociais e apoio ao logradouro. A norte, o interior deste piso é ventilado e iluminado por um pátio que outrora foi adega. O novo coexiste com o velho.

O piso 1 (nível intermédio) organiza-se em volta de um pátio maior (recortado pelo pátio do piso 0) e destina-se à atividade familiar diária. A norte a entrada pelo aparcamento coberto, conduz os habitantes à cozinha através de um corredor. As salas expõem-se ao logradouro, a sul.
O piso 2, visível da rua, foi dedicado ao descanso. Sobrepõe-se parcialmente ao volume do primeiro andar, abriga o espaço de entrada e o pátio. Está dividido por três quartos e respetivas dependências.
As coberturas são planas.  A cobertura do piso 1, à cota da rua, constitui uma esplanada orientada ao horizonte.

 

A nova construção (integralmente em betão armado) é uma massa negra de ardósia assente nos muros da base da antiga casa em xisto enquadrada pelos antigos socalcos de granito e xisto.

The proposal is for a plot of land with 1697 m², where 112 are covered area that corresponded to a demolished two-floor house and attic that had a total floor area of around 300 .
Out of the 1697
of land, only 600 m² can be built on and the rest of the land is part of the Agricultural Reserve.

 

The land is on a steep west-east slope divided into two terraces with a nine-metre total difference in elevation. The constructive area was isolated from the street and surrounded by the Agricultural Reserve, below street level.

 


The construction was composed of a house, a threshing floor in the south and a granary.
The house was built with thick schist walls, the upper floor and threshing floor were covered in slate.

We demolished the upper floor, keeping the lower floor and the threshing floor slate slabs.
Just like the old house, the new one merges into the morphology of the land, doing without the urban frontage, encouraging dialogue with the beautiful farmland that stretches away on the side opposite the street.


The house has a gross area of 643.20 over three floors.
The access from the street has some steps and an open corridor to the heart of the house, the patio where the entrance is found.


Floor 0 (level -2, under street level) was rehabilitated and expanded. It houses the social functions and patio support. To the north, the interior of this floor is ventilated and illuminated by a patio that used to be a cellar. The new co-exists with the old.
Floor 1 (mezzanine) is organised around the larger patio (clipped by the floor 0 patio) and is used for the family’s daily life. To the north, the entrance to the covered parking, leads the inhabitants to the kitchen through a corridor. The rooms overlook the patio to the south.


Floor 2, visible from the street, is used for relaxation. It partially overlaps the first-floor volume, it shelters the entrance space and the patio. It is divided into three bedrooms and respective toilets.
The roofs are flat. The floor-1 roof, which is at street level, has an esplanade facing the horizon.


The new construction, (completely made or reinforced concrete) is a dark mass of slate sitting on the lower walls of the old house made of schist blocks against the old terraces of granite and schist.

G A L L E R Y :

Rua João Paulo II, n. 615, Trofa, Porto, Portugal.

 t. +351 252 414 729   m. +351 933 205 481   e. noarq@noarq.com

© 2019, by NOARQ  |  no arquitectos lda

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle